Roupa de Cama e Banho – Alergologista dá 13 Dicas de Cuidados Fundamentais


Entramos diariamente em contato com as roupas de cama e banho, por isso é importante estar atento ao tempo de uso e as condições da roupa, para evitar problemas de saúde relacionados à higiene destas peças. No Verão, com o aumento da umidade, do calor e do suor, os cuidados devem ser ainda maiores.

Segundo a alergologista, pós-doutora em Alergia e Urticária pela Universidade Humboldt (Alemanha), dra. Rosaly Vieira dos Santos, normalmente as roupas de cama devem ser trocadas pelo menos uma vez por semana. Já as toalhas de mão e rosto devem ser trocadas a cada dois dias em média. As de banho, no mínimo semanalmente, sempre deixando-as bem estendidas após o uso. “As toalhas devem ficar o menor tempo possível molhadas para evitar a proliferação de fungos e bactérias”, explica a doutora.

Com o calor do verão, a especialista alerta que a frequência deve ser ainda maior: “As roupas precisam ser trocadas pelo menos duas vezes por semana, pois o suor causa mais umidade na cama, aumentando a quantidade de fungos e bactérias”, alerta. Estes microrganismos podem causar infecções, além do aumento de ácaros, que se alimentam de restos cutâneos e podem gerar alergias.

Limpeza

O ideal é que sejam usados produtos neutros e suaves na lavagem de roupas de cama e banho, em especial para pessoas com alergias. É recomendado também que sejam lavadas com água a 55°C. Podem ainda secar em secadoras de roupa a esta temperatura também e serem passadas a ferro.

A proprietária da Lavasecco, Maria Alzira Linares explica que, em alguns casos, devem ser usados produtos e tratamentos específicos para cada tipo de fibra ou tecido. “Especialmente para roupas lavadas com muita frequência, é importante ter mais cuidados de conservação, alguns específicos para cada peça, evitando desgaste excessivo”, alerta.

Inimigos das alergias

Para proteger mais os colchões e travesseiros, recomenda-se o uso de capas impermeáveis, pois elas agem como barreira mecânica, minimizando o contato com o ácaro. As capas também devem ser lavadas com a mesma frequência das roupas de cama.

A doutora alerta ainda que a higiene deve ser reforçada em ambientes com crianças, idosos e portadores de doenças crônicas (pulmonares, cardíacas), pois são fatores de risco e imunidade baixa ou imatura, e estão mais propensos a infecções. “No ambiente de pessoas alérgicas, a higiene deve ser intensificada, pois o alérgeno mais comum é o ácaro, que vive na poeira domiciliar e se alimenta tanto de células mortas por descamação cutânea como de fungos”, detalha.

13 Dicas de Cuidados Fundamentais com Roupa de Cama e Banho

– Mantenha o ambiente arejado, mesmo que por pouco tempo, porém de forma mais intensa. Para isso, abra todas as janelas e portas. Janelas inclinadas permanentemente não permitem a necessária mudança de contraste da temperatura do ar.

– A umidade do chuveiro e da banheira devem ser “liberadas” para o exterior da casa.

– Evite o uso de sistemas de ventilação e ar condicionado, pois ajudam os fungos a ficarem mais resistentes e a espalhar seus esporos.

– Cheque se não tem mofo atrás de armários, azulejos, revestimentos e instalações.

– Os móveis devem ter alguma distância das paredes permitindo a circulação do ar.

– Remova de sua casa objetos infestados por fungos, ou realize o tratamento das superfícies mofadas com produtos adequados, que podem ser encontrados em supermercados ou farmácias. Porém, se houver mofo em papel de parede ou mesmo em paredes, muito provavelmente você só conseguirá a remoção com a ajuda de profissionais.

– Deixe os hábitos de jardinagem, como cortar grama ou ter contato com adubo, para as pessoas que não tenham fatores de risco.

– Plantas em decomposição são terreno fértil para os fungos.

– Deixe de fumar – a irritação constante da membrana das mucosas respiratórias facilita o ataque dos alérgenos, fungos e bactérias.

– Se você tem um animal de estimação dentro de casa, evite o contato dele com o sofá e cama.

– Dê preferência a edredons em relação a cobertores.

– Prefira aspiradores de pó que não recirculem ácaros, como os com filtros HEPA.

– Evite estofados com tecidos, prefira os revestimentos em materiais como couro ou similares.

– Evite tapetes e cortinas, ou prefira os de materiais mais fáceis de lavar e que juntem menos pó, como tecidos leves, persianas, materiais sintéticos. Lave-os com frequência.
Sobre a especialista:
Rosaly Vieira dos Santos é alergologista, com mestrado em Alergia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), doutorado em alergia pela UFPR e Universidade Humboldt (Alemanha) e pós-doutorado em Alergia e Urticária pela Universidade Humboldt, Hospital Charité – Berlim, Alemanha.

Sobre a Lavasecco:
Com 22 lojas pelo país, a Lavasecco Franchising foi fundada em abril de 2005 por empresários que atuavam no setor e pesquisaram novas técnicas internacionais para aprimorar o serviço. A Lavasecco se destaca no segmento de lavanderias domésticas pela tecnologia italiana de ponta das melhores máquinas mundiais e alta qualidade no atendimento ao cliente. Todo o conceito, layout e maquinário da Lavasecco foram desenvolvidos para garantir excelência na limpeza e conservação de peças de vestuário, cama, mesa e banho. A empresa oferece ainda serviço de delivery e oficina de costura.